Diário, Maternidade, Minha Dica, Minha Vida

Independência e Responsabilidade

Oi, pessoal!

Hoje vou falar um pouquinho sobre responsabilidade e independência. Nossa, que papo sério, né? Sim, é um tema bem delicado, e por mais que em nossos corações os filhos sejam sempre bebês, uma hora temos que nos dar conta da realidade: eles crescem… e rápido!! E daí cabe a nós ensinarmos e darmos condições para que nossos pequenos comecem a se desenvolver de todas as maneiras, inclusive na área da responsabilidade e da independência.

Bom, quem me conhece sabe que sou o tipo de mãe mega protetora… estou do lado da Isabella o tempo todo, porém sou bem consciente de que ela precisa ser livre o suficiente para crescer e se desenvolver! Vejo-a como uma plantinha que se ficar sempre à sombra da árvore maior terá que se contorcer bem mais para pegar luz, água e daí crescer e florescer. É assim a vida!

Então, acredito que como mãe, o meu papel seja o de dar total suporte e proteção para que ela cresça e se desenvolva da melhor maneira. Cabe a mim dar espaço a ela criando alternativas para que entenda e aprenda a ter responsabilidade e independência na dose certa.

Mas e daí? Como eu, na prática, tenho ajudado a Isabella nessa construção? Como a ensino a ter o senso de organização, asseio e educação com responsabilidade e independência?

Antes de mais nada uma coisa que considero de suma importância e, desde os primeiros dias de vida, aplico é o silêncio. Como assim? Desde que viemos para casa, após sairmos da maternidade, deixo a Isabella todos os dias quietinha no bercinho dela assim que ela acorda. Ou seja, não corro lá para pegá-la… e nem após as suas sonecas… aqui em casa é proibido pegar a Isabella assim que ela acorda (rs). Ela já se acostumou e fica lá quietinha por vários minutos olhando o movimento dos seus dedinhos, da sua mãozinha, do que há ao redor do seu bercinho, do seu quartinho, ouvindo os sons da casa, do condomínio, de outras crianças… enfim… digo que é a hora do aprendizado relaxante. Ela está se conhecendo e conhecendo o que há ao seu redor sem que haja a interferência ou estímulo de ninguém! Ela está aprendendo sozinha! É o aprendizado independente. Como disse acho isso de suma importância! É o momento dela… o momento que ela conhece a si e ao seu redor de maneira única e independente. Pra mim o silêncio é parte da aprendizagem! Principalmente porque nos demais períodos ela está sempre sendo muito estimulada! E essa é a primeira regra que apliquei aqui em casa.

Outra coisa importante que tenho estudado e daí estou repassando a vocês é que transfiro as responsabilidades aos poucos à Isabella, ou seja, deixo-a que faça sozinha as coisas da sua rotina diária, de maneira gradativa. Isso porque acredito que se lançar a ela a obrigação de fazer tudo sozinha de uma vez isso poderá assustá-la e, ainda, gerar exatamente o efeito contrário: uma criança introvertida e amedrontada. Afinal não será na primeira tentativa que tudo dará certo… daí a frustração fará parte do momento. Importante ter muito cuidado nessa fase da introdução da responsabilidade e independência, nunca esquecendo de considerar que  cada criança tem o seu jeito e seu tempo!!

Então, introduzir uma coisa de cada vez, uma rotina por dia, ensinando e observando ação e reação é fundamental! Não há pressa! O importante é transferir a responsabilidade aos poucos!

Uma coisa super interessante que passei a notar na Isabella depois que iniciei a introdução da independência e da responsabilidade é que ela possui opinião própria, mesmo sendo ainda tão pequena! Sim, ela passou a demonstrar suas conclusões sobre tudo o que acontece ao seu redor. Daí ser tão importante ouvir e ser ouvido. É essencial ouvir o que a criança tem a falar, mesmo que seja por sinais! Algumas crianças demoram mais que outras a falar, mas elas se expressam muito por atos, gestos e sons… e respeitar isso é muito importante!

Eu, por exemplo, sou do tipo que quando a Isabella quer demonstrar alguma atitude, seja para o que for, paro tudo que estou fazendo e presto muita atenção… acho primordial não relegar o que ela quer transmitir, mesmo que não seja por uma frase… ela ainda fala muito pouco, mas se expressa o tempo todo da forma dela! Dar atenção e ensinar é fundamental!

E falando sobre ensinar, logo me vem à cabeça o “não”… Sim, dizer “não” nem sempre é tão fácil, porém, faz parte do aprendizado sobre responsabilidade e independência! Por mais que em algumas situações seja dolorido dizer “não” é essencial para que a criança aprenda o respeito, a educação e o limite! Importante lembrar que o dizer “não” deve ser criterioso para não se tornar banal! O dizer “não” aqui em casa é sempre fundamentado. Nunca digo “não” e fica por isso. Acho muito importante explicar a razão do “não”. Desta forma acredito que a Isabella tem aprendido com mais consciência sobre as situações e os perigos. Sempre digo que as crianças são como esponjinhas… estão capturando tudo! As anteninhas estão ligadas 24 horas por dia! E a formação da sua índole, do seu intelecto, da sua moral e seu caráter estão acontecendo a cada milésimo de segundo!

Mas voltando à prática a primeira coisa que apliquei com a Isabella a fim de que tomasse contato com a independência foi ensinando-a a comer sozinha… Em torno dos 6/9 meses, considerando que ela já conseguia fazer o movimento da pinça e, portanto segurava sozinha muitos alimentos, como cenoura cortada em tirinhas, batata cozida, gominhos de laranja, pedacinhos de maça, galhinhos de brócolis, passei a servi-la e deixa-la comer sozinha… mesmo fazendo a “baguncinha” básica que faz parte do aprendizado!

Depois, conforme foi crescendo, passei a dar-lhe  o garfo para que segurasse e pegasse a sua própria comidinha: colocava o pratinho dela na frente, ficava com a colher para dar sua refeição e ela ficava com o garfo para espetar o que era possível e ela mesma levava à boca. Hoje ela já come muita coisa sozinha! A sobremesa, geralmente frutinhas cortadas, gelatina, ficam por conta dela e eu aproveito essa hora para lavar a louça (rs). É a construção da independência!

Ainda com relação à alimentação, durante o dia, deixo que ela tome sozinha a sua mamadeira de suco e o seu copinho de água. Coisas simples, mas que para ela o aprendizado é enorme!

Outra dica é com relação à hora de se vestir. Deixo sempre que ela entenda que deva dar o braço para colocar na manga, levantar o pé direito e depois o esquerdo para colocar a calça, ensino o que é zíper, botão e como se faz com esses itens da roupa… A Isabella depois que aprendeu isso deu um trabalhinho, pois da mesma forma que aprendeu a fechar o zíper, também aprendeu a abrir… vira e mexe ela está sem o casaquinho… rs. Mas faz parte e isso é normal. Daí cabe a cada responsável ter a paciência de ensinar.

Também com relação ao vestuário uma outra coisa legal de se fazer é deixar que a criança comece a ter suas vontades no que vestir. Mostro sempre duas opções à Isabella e vejo a sua reação. É super legal ver que desde tão pequenos já possuem seus próprios gostos.

Quanto aos sapatos uma dica é colocar o tênis ou sandalinha e deixar que a criança termine e feche o velcro. Com a Isabella sempre que coloco o tênis ela já sabe que terá a tarefa de fechar. Mas é aquilo, da mesma maneira que aprende a fechar, aprende a abrir… é normal e a paciência deve imperar (rs). Lembre-se que faz parte da aprendizagem! É uma fase!

E com relação à organização? Humm… isso não é tarefa muito fácil. As crianças tendem a largar as coisas pela casa muito facilmente. Elas se desinteressam das coisas e partem para a outra largando tudo para trás… é ou não? Bom, com a Isabella, como vocês já viram num post passado, criei um espaço único só dela! Lá escolho os brinquedos que ficarão expostos na prateleira por uns 20 dias e depois renovo o espaço trocando os brinquedos, isso já pensando que ela enjoa rápido do que tem ali. Então resolvi fazer uma espécie de “rodízio” dos brinquedos, menos chance de enjoar, largar e esquecer deles. Afinal brinquedos são caros e quanto mais durarem com a criança melhor, né?! Fica a dica!

Bom, mas, então, como ensinar a organização na prática? Com a Isabella uma forma que tem dado muito certo é exatamente ensinando que após terminar uma brincadeira temos que guardar os brinquedos na caixinha ou saquinho correspondente e retorna-los na estante, exatamente onde estavam antes de começarmos. Nada de terminar uma brincadeira, jogar ou largar tudo e começar outra… tento criar esse hábito: não quer mais brincar, então vamos guardar no lugar certinho e daí pegamos o outro. Se ela não cumpre sozinha o dever de voltar com o brinquedo para a prateleira vou com ela e a ajudo na tarefa. Gente para educar, para ensinar, para incutir uma regra não é de uma hora para outra: tem que ter paciência, muito amor, dedicação e consistência no ato! Hoje não deu certo, amanhã repete e uma hora eles aprendem! Não é fácil, mas vale a pena! Podem acreditar!

E a última dica é: deixe que a criança brinque sozinha de vez em quando… ela não deve ser o centro das atenções 100% do tempo… deixe-a perceber que o mundo não gira em torno dela… mas que ela faz parte deste mundo!

Aos poucos vamos introduzindo a responsabilidade e independência aos nossos filhos. Afinal, cabe a nós ensinarmos e educarmos o futuro de amanhã!

Espero ter ajudado de alguma forma.

Um beijo bem grande a todos e fiquem com Deus!

IMG_2372

Previous Post Next Post

You Might Also Like

4 Comments

  • Reply Priscila Spiandorello 3 de setembro de 2015 at 03:44

    Excelente texto!! ?

    • Reply admin 3 de setembro de 2015 at 11:03

      Obrigada pela presença e carinho, Pri!
      Um beijo enorme!!!

  • Reply Sara 3 de setembro de 2015 at 10:32

    Bom dia!
    Nem sempre comento, mas estou sempre acompanhando seu blog! A Isabella está uma fofa!!
    Adorei seu post! Tenho criado o mesmo hábito aqui em casa. O Mateus acorda e deixo ele no bercinho dele resmungando! hahaha. Mas confesso que, na maioria das vezes, é por puro cansaço da rotina de trabalho que não levanto e o deixo lá… Mas, no final, está sendo ótimo. Consigo descansar por mais alguns minutos e quando preciso fazer alguma coisa e estou sozinha em casa, vira e mexe deixo-o no berço e ele fica lá me esperando. É claro que, vez ou outra, ele abre o berreiro.
    De uns tempos para cá, tenho tentado fazer com que ele coma algumas coisas sozinho, pois reparei que tudo o que ele pega, leva loga para boca…mas sabe que quando se trata de comida o safadinho fica lá só olhando, colocando o dedo, amassa tudo na mãe e não come?? Acho que deve ser por pura curiosidade das consistências, texturas, cores…enfim…mas como o dia a dia é meio corrido, deixo-o com um pedaço na mão e vou dando o resto para ele comer.
    Para brincar também o deixo bem à vontade, mesmo porque, com seus 10kg, não há mais braços que aguentem!!! E quando o tempo permite, gosto de levá-lo no terraço do prédio, para se divertir com as plantas e tudo o mais que tem de diferente! só ficar de olho para não sair comendo terra e coisas do tipo.
    Atualmente estou lendo um livro que minha mãe me deu e tenho gostado muito. Talvez você já tenha lido. Chama-se Quem Ama Educa! Formando Cidadão Ético, do Içami Itiba. É uma leitura fácil e com várias dicas sobre educação, desde a mais tenra idade, usando várias situações do nosso cotidiano. Realmente indico!!
    Beijos e saudades, Sara

    • Reply admin 3 de setembro de 2015 at 11:02

      Obrigada pelo carinho de sempre, Sara! Adoro ler seus comentários!!! E pelo visto o Mateus está indo muito bem nas conquistas da responsabilidade e independência!!! Parabéns por suas iniciativas na educação do pequeno… nem sempre é tão fácil como parece, principalmente a nós que somos mamães de primeira viagem, né? Mas são nessas pequenas conquistas que nos orgulhamos tanto em sermos mães, não é verdade? Sobre o livro… já li sim, é maravilhoso!!! E muito do que aplico aprendi ali. Obrigada por compartilhar aqui sua experiência… tenho certeza que também ajuda a muitas outras pessoas! Um beijo enorme a vcs!!! Saudades

    Leave a Reply