Maternidade, Minha Dica

Viajar com o bebê

Oi pessoal!! Quanto tempo e quanta saudade!!!

Fiquei um tempo ausente… a família resolveu tirar férias!! Obaaaa!

E, desde que noticiamos que sairíamos de férias por um período relativamente longo e para um lugar mais distante as perguntas mais recorrentes foram: como farão durante o trajeto para distrair a Isabella? Como farão para lidar com a diferença entre a estrutura que tem em casa e a de um hotel? Quais são os cuidados a mais quando se viaja com um bebê? Será que sair da rotina não será ruim para ela? A viagem foi cansativa para você? A Isabella conseguiu aproveitar de alguma forma, já que é tão pequena ainda? Querem saber como foi tudo isso?

Hummmm… bom, antes de contar a minha experiência nessa última viagem, vou dizer um pouco da viagem de férias passada… sim, já tínhamos saído de férias com a Isabella ano passado quando ela estava com exatamente 9 meses. De antemão digo que foi fantástico e super tranquilo. Ela era bem bebezinha e mais tranquila que hoje (rs). Durante a viagem de avião, que durou cerca de 9 horas, ela dormiu a metade do voo e na outra metade brincou ali sentadinha no meu colo. Na época ela ainda não andava, embora já engatinhasse e ficasse em pé sozinha, então foi bem mais fácil controlá-la. E durante as férias, mesmo saindo da rotina que consegui introduzir, foi tudo bem tranquilo e bem prazeroso! Por experiência digo: sair da rotina faz muito bem, não só para nós, quanto para os bebês! Eles interagem com um outro mundo a sua volta e o desenvolvimento é surpreendente! São novas imagens, novas pessoas, novos lugares, novo ritmo, novo costume, enfim… super recomendo! Sobre a alimentação farei um post a parte dando dicas do que ofereci durante as férias, o que e onde comprar, como fazer e até valores, ok? Aguardem!

Mas e nessa última viagem? Como foi viajar com um bebê de 1 ano e 3 meses? Dá certo? É cansativo? Vale a pena?

Então, pessoal, viajar com crianças nem sempre é algo tão fácil… se sua ideia é sair de férias para descansar… talvez seja melhor pensar um pouco antes sobre o lugar de destino e principalmente o tempo de duração do trajeto, seja de carro, ônibus ou avião.

Lembre-se que crianças não têm a mesma paciência que um adulto em passar muitas horas quieta sentadinha “sem ter o que fazer”, principalmente uma criança que está a descobrir o mundo, como no meu caso com a Isabella (rs).

Nós viajamos de avião e o curso do trajeto durou cerca de 9 horas! Imaginem!!! Você precisa ter paciência e estar preparada para o momento de estress do bebê, sim, eles ficam estressados exatamente porque não aguentam tantas horas ali sentadinhos e parados, né?! Então, se você não está preparada física e psicologicamente para as horas do trajeto…. não vá ou procure um lugar mais próximo!

Mas se você, como eu, já está certa do que poderá passar e conhece bem o seu bebê, seguindo algumas dicas que darei e que foram soluções para mim, suas férias poderão ter sucesso e você curtir cada instante com sua família.

Então vamos lá: durante o trajeto da viagem é importante levar brinquedos que distraiam a atenção da criança. Hoje em dia, feliz ou infelizmente (ainda não tenho ideia bem formada sobre isso – a princípio sou contra, mas…), temos os “tablets” que ajudam muito a distrair as crianças. No meu caso baixei alguns aplicativos infantis com vídeos, músicas e joguinhos que a Isabella aprendeu a gostar. E confirmo que foi a salvação! Ela distraiu bem durante toda a viagem!

Outra coisa importante é levar um objeto de apego da criança: um cobertorzinho, a chupeta, o paninho, a bonequinha, o ursinho… enfim, algo que a criança identifique como seu e que a faça sentir aconchego. Na hora do soninho fará toda a diferença!

Não esqueça de levar mais fraldas e lenços umedecidos do que está acostumada a usar para o tempo de viagem. Nunca se sabe se terão mais trocas que o normal. Um trocador avulso é essencial! Na cabine do banheiro há um trocador embutido, mas como é usado por várias crianças, colocar o seu trocador encima é mais higiênico e confortável para o seu bebê.

Não esqueça de levar pelo menos duas trocas de roupas, casaquinho e meias. Dentro do avião é bem frio e agasalhar o bebê é fundamental. Uma mantinha também ajuda na hora do soninho.

Ah, gotinhas de soro fisiológico no nariz é muito útil, pois deixa mais úmido e o bebê se sente mais confortável… o ar condicionado do avião é bem forte e incomoda bastante. Eu sempre fico muito mal com isso durante os voos, daí fiquei imaginando a Isabella e o uso das gotinhas de soro foi um diferencial.

Com relação à alimentação do bebê: as companhias aéreas restringem líquidos na bagagem de mão no momento do embarque. Porém, quando se trata de alimentação das crianças os líquidos estão liberados! Sim, você pode levar as mamadeiras tranquilamente com o suquinho ou até mesmo o leite. Se o bebê toma algum tipo de fórmula você pode, inclusive, pedir para que as comissárias esquentem a água para você.

Não sei outra companhia área, mas a TAM não oferece mais refeição para crianças. Ou seja, você deverá levar de casa a comidinha do seu filho. Nesse caso, também, você poderá solicitar que a comissária esquente a comida, caso a criança prefira a refeição quente. Uma saída é levar comidinha pronta industrializada, pois não se corre o risco de estragar e pode se comer fria mesmo. Mas vai de cada mãe e sua forma de lidar com essa particularidade. Oferecer comida industrializada é um assunto polêmico e não é esse o meu foco aqui. Cada um faz como achar melhor, ok?

Bom, com relação ao hotel uma dica é na reserva já avisar que será necessário no quarto um berço para bebê. No meu caso sempre disponibilizaram aqueles berços portáteis. Super tranquilo e montam na hora! Geralmente não cobram nenhum valor a mais para esse serviço. Para a Isabella sentir mais o aconchego das suas coisas sempre levo o seu travesseirinho, mantinha e seu objeto de apego.

Daí, outra pergunta frequente é: como você fez para preparar a comida da Isabella? Bom, ela já come a mesma comida que eu, com ressalva de que eu não como comida muito condimentada. Sou adepta da comida mais natural e saudável, então, ela consegue comer muito bem a minha comida. Muitas vezes foi assim que resolvi essa questão. Outra forma que encontrei foram as comidinhas prontas industrializadas. É gente, não tem jeito, é a facilidade e praticidade falando mais alto nessas horas. E, se pensarmos que estamos de férias e isso dura muito pouco, não sendo, portanto, uma regra, valer-se disso não trará risco à saúde do bebê, certo? Para o lugar específico que fomos encontrei comidinhas industrializadas todas preparadas com grãos integrais e sem qualquer adição de conservantes. Uma dica é pesquisar antes da viagem em sites de supermercados do local o que disponibilizam para a alimentação infantil. Isso já acalmará o coração da mamãe (rs).

Sobre a rotina: gente, sair da rotina é sempre um medo… ainda mais para mães que como eu sempre se preocupou com isso. Mas digo com total convicção: faz muito bem tanto para o bebê, quanto para os pais. Com relação à criança posso afirmar que o contato com outras pessoas, outro lugar, outros costumes faz com que o bebê tenha outras perspectivas e o desenvolvimento é enorme! O que percebo é que a criança assimila muito rápido o novo e aprende com muita facilidade! Recomendo! Quanto aos pais… nem preciso dizer muito, né?! Parece contraditório dizer que sair da rotina traz equilíbrio, mas é o que sinto. A rotina de cuidar de um bebê, da casa, do trabalho… tudo isso é tão cansativo e estressante que sair fora disso é trazer à tona a tranquilidade para prosseguir, a calma para continuar… a pausa necessária e o suspiro gostoso para reiniciar.

Bom, esse foi um resumo da minha experiência e que estava ansiosa por compartilhar. E se alguém tiver mais alguma dúvida ou algo a acrescentar… deixe seu comentário. Será sempre muito bem vindo!

Um beijo grande e fiquem com Deus! 🙂

aviaoo

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply